A ALEGRIA DE SERVIR

Arquivo de Notícias 07/07/2017

A partida para a Eternidade, em 27/4/2017, da Sra. Alma Rieg Amorim, conhecida por        D. Alminha, aos 79 anos, dos quais 55 dedicados ao Voluntariado na Ação Social da Paróquia Nossa Senhora de Fátima do Estreito – Florianópolis, orientando gestantes, coordenando e fazendo enxovais para crianças, motivou-nos a abordar o belíssimo dom de servir, que tem o amor como fundamento.

Ensina-nos Martin Gray, que “O amor nunca é obrigação. É alegria, liberdade, força. O amor mata a angústia. Onde o amor não existe, surgem angústia e tédio. O amor é disposição. O amor é entusiasmo. O amor é risco. Não amam e não são amados os que economizam e poupam seus sentimentos”.

O que leva as pessoas a abrir mão do descanso, de viagens, lazer, conforto, aconchego da família e se dedicarem aos outros?

Parece que se inspiram na lição de Ayrton Senna: “Quando penso que cheguei ao meu limite, descubro que tenho forças para ir além”.

 

O Voluntariado é uma “atividade não remunerada prestada por pessoa física a entidade pública de qualquer natureza, ou a instituição privada de fins não lucrativos, que tenha objetivos cívicos, culturais, educacionais, científicos, recreativos ou de assistência social, inclusive mutualidade. O serviço voluntário não gera vínculo empregatício, nem obrigação de natureza trabalhista previdenciária ou afim”. Assim é conceituado o trabalho voluntário pela Lei nº 9608, de 1998.

Estima-se que, em torno de 24 milhões de brasileiros, prestem serviços de voluntariado. E, geralmente, são anônimos.

Já imaginaram as consequências do incêndio no Imperial Hospital de Caridade, dos frequentes desastres climáticos, a tragédia da Chapecoense, a Cruz Vermelha, a Orionópolis, o CEPON, as APAEs, a IDES, a SERTE, a SEOVE, as Irmandades, as Associações Atléticas, Corais, Estudantis, Culturais e Esportivas, as entidades de classe, os clubes sociais, os Grupos Escoteiros, as Festas do Divino, as Casas Lar para Crianças, as Ações Sociais, os Clubes de Mães, os Grupos de Alcoólicos Anônimos, as Creches Comunitárias, os Asilos, os Hospitais de Caridade, as ONGs em geral, sem a ação dos Voluntários? Ressalte-se, também, que as associações de fins não econômicos são dirigidas, aconselhadas, assessoradas e fiscalizadas por Voluntários que estão impedidos de perceber remuneração de qualquer natureza.

A Revista Seleções, edição de maio/2017, ao abordar a saúde do cérebro, divulga recente Pesquisa do Instituto de Neurociência da Universidade da Califórnia. Ao examinarem sete fatores de saúde cardíaca dos que participaram da Pesquisa, ao longo de oito anos, os cientistas constataram que “quanto mais hábitos bons para o coração essas pessoas adotavam, melhor o fluxo de nutrientes para o cérebro”.

Dar propósito à vida e manter-se mentalmente ativo faz bem à saúde; as pessoas vivem mais e o risco de morte é 37% mais baixo.

“A alegria é plena, quando as pessoas saem de si para servir”. Como Deus é amor e dEle somos filhos, “o amor jamais acaba”. Eis o segredo de tanta solidariedade. “Será esplêndida a vossa recompensa nos céus, porque fostes sal e luz. Bem-aventurados sois vós, porque sentistes minha presença no vosso irmão necessitado e destes testemunho”.

A Sociedade admira e reconhece a importância do Voluntariado na construção de um mundo mais justo e solidário.         

____________________________________________________________

Organizado por Ademar Arcângelo Cirimbelli, Assessor da Presidência